In obrigado, Opus Dei
Por Lázaro Linares
Lázaro Linares, renomado treinador do atletismo espanhol e um dos primeiros adscritos do Opus Dei, conta neste relato um pouco da sua vida na Obra, os começos e a sua dedicação profissional como Diretor da Escola Esportiva Tajamar de Vallecas (Madrid).

Levo já mais de quarenta anos no Opus Dei e tenho que dizer que foram mais de quarenta anos de felicidade, ainda que na minha vida houve os lógicos e naturais momentos de dor, como todo o mundo. No entanto, quando se padece o sofrimento por amor a Deus não é tanto sofrimento, igual a quando uma mãe traz ao mundo um filho: a dor não tem importância porque é maior o amor que sente pela criança. Quando saem bem as coisas, damos graças a Deus; e quando saem mal, também damos graças. Penso que é esse o segredo, ver por trás de cada coisa a mão de Deus.

Com freqüência penso em tantas coisas boas que me aconteceram em todos esses anos no Opus Dei. Penso em como Deus coloca em nosso caminho tantas pessoas que podemos ajudar e como acontece depois que somos nós os que mais aprendemos e nos beneficiamos ao procurar ajudá-las.

Quando olho para trás vejo um caminho longo em que houve muitas fadigas, mas também muitas alegrias. Entre outras, a de ter visto Tajamar nascer, crescer e acolher, nos seus estudos e esportes, algumas gerações.

Tudo começou com pouquíssimos meios: éramos poucos, com pouca experiência e sem dinheiro. Mas Deus resolveu tudo muito melhor e muito antes do que esperávamos. Cumpriu-se assim, aquilo que tantas vezes ouvi do fundador do Opus Dei: “reclamavas, ao te veres novamente só e sem meios humanos. Mas imediatamente o Senhor pôs na tua alma a segurança de que Ele o resolveria. E lhe dissestes: Tu cuidarás disso! Efetivamente, o Senhor dispôs tudo antes, mais e melhor do que esperavas”.

Escrevi esse relato para agradecer a Deus a vocação que me deu. E para agradecer que se fez realidade na vida de tantas pessoas aquilo que São Josemaría Escrivá repetia aos primeiros que se aproximaram dele para levar adiante o Opus Dei, quando lhes assegurava que, se fossem fiéis à chamada divina, suas vidas se converteriam em uma aventura maravilhosa: “Sonhai, sonhai e ficareis aquém”.

O fundador do Opus Dei enxergava com olhos de fé. Ver com olhos de fé significa não só acreditar no que não vemos, mas também ver o que outros não vêem. Por isso ele assumiu com audácia tantos desafios que, aos olhos de muitos, pareciam uma loucura.

O Opus Dei é ainda muito jovem e o trabalho que nos espera é enorme, um mar sem margens, de modo que enquanto haja homens na terra, por muito que mudem as coisas, fica muito por fazer. Sempre que olho para trás, vem-me com força à memória essas palavras do fundador do Opus Dei: “Sonhai, sonhai e ficareis aquém”. E essa segurança que nos transmitia de que se fôssemos fiéis a Deus, nossos sonhos e desejos se converteriam em realidade antes, mais e melhor! Não foi necessário que passassem muitos anos para que aqueles sonhos que tínhamos na cabeça quando o escutávamos, tenham ficado efetivamente muito aquém. Foi Deus quem o fez. Superou nossos sonhos mais otimistas. E o fez mais, antes e melhor.

Lázaro Linares

Recent Posts
Fale conosco

Escreva aqui sua mensagem que responderemos o mais breve possível. Obrigado!

Start typing and press Enter to search