In milagres
Por Alda Sampaio de Paiva
Alda relata a graça que alcançou através da intercessão de São Josemaria Escrivá: manter viva a sua sogra, que se encontrava num estado grave de saúde, para que ela continuasse testemunhando a sua fé.

Em 1989, minha sogra, Maria de Jesus Vilela Paiva (conhecida mais como Dona Zuza) que já tinha a idade de 78 anos, passou por uma cirurgia de vesícula que, em si, transcorreu bem. No pós-operatório começaram os problemas. Após uma queda de pressão, seguiram-se várias complicações respiratórias e renais que a fizeram permanecer na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) por 21 dias, onde seu estado tornara-se crítico, tendo que ficar com o respirador artificial, e sendo por várias vezes desenganada pelos médicos.

Os médicos a mantinham sedada por causa do desconforto do seu estado.

Mãe de treze filhos, viúva, mulher de fé inabalável, lutava bravamente para viver. Filhos, genros, netos (mais de cinqüenta) permaneciam em oração e todos queriam estar próximos a ela.

Eu e meu filho caçula, que já era do Opus Dei, rezávamos ao então servo de Deus Josemaria Escrivá, pedindo-lhe que intercedesse junto a Deus, para que se fosse a Sua Vontade a mantivesse viva, pois acreditávamos que sua presença entre nós seria muito útil; e precioso testemunho de vida cristã para toda a família e para muitas outras pessoas.

Quando os médicos já nos diziam que eram mínimas as suas chances de se recuperar, que não havia mais nada a ser feito, graças à intercessão de São Josemaria Escrivá, aos poucos ela foi melhorando. Até que um dia, 16 de março, marcou a sua recuperação definitiva. Ela pediu um papel para escrever, já que pelo seu estado clínico, não podia falar. Escreveu, com grande dificuldade, com letra trêmula: “Quero comungar. Quero ver os meus filhos”.

Conseguiram que um padre trouxesse-lhe a Santíssima Eucaristia. E ela pode realizar o que mais desejava. Depois de comungar, começou a melhorar visivelmente, embora tenha ficado calada naquele dia.

Avisaram-me que ela estava se recuperando e dirigi-me ao hospital. Ao vê-la, ela pediu de novo uma folha de papel e escreveu nela: “comunguei hoje” (ainda guardo esse papel como recordação de um momento marcante na minha vida).

Hoje, Dona Zuza aos 95 anos, está bastante esquecida, apresenta alguns momentos de lucidez onde demonstra sua delicadeza de ser, de atender a todos. Enfim é uma pessoa adorável, reflexo de uma vida de união com Deus.

E nós contamos com esse exemplo admirável graças à intercessão de São Josemaria Escrivá.

Alda Sampaio de Paiva

PS. Um detalhe significativo: Dona Zuza continua rezando o terço até hoje.

Recent Posts
Fale conosco

Escreva aqui sua mensagem que responderemos o mais breve possível. Obrigado!

Start typing and press Enter to search