Opus Dei: caminho de felicidade e de fidelidade ao Papa e à Igreja

Por Pedro e Maria Teresa Perri
Ao lerem um artigo de revista que não retratava o Opus Dei com justiça, o casal Pedro e Maria Teresa se viu no dever de escrever a este veículo de comunicação, dando seu testemunho de que a Obra é caminho de felicidade e também de fidelidade ao Papa e à Igreja. Sua carta chegou também ao Opus Alegria, que a publica na íntegra.

Senhores,

Sou supernumerário do Opus Dei, casado há 25 anos, também com uma supernumerária, temos 7 filhos com idades entre 24 e 9 anos. Teresa e eu tivemos a grande felicidade de conhecer São Josemaria Escrivá em São Paulo em 1974, quando passou uns dias de maio com seus filhos espirituais e amigos. Digo que tive a felicidade de conhecê-lo de perto, porque minha vida mudou depois desse encontro com esse sacerdote extremamente simples, alegre, dinâmico e principalmente que “exalava santidade” por onde passava, com uma fé que transpirava pelos seus poros, inundando de amor, esperança, fraternidade e caridade aos que o rodeavam e tiveram o privilégio de estar presente nas reuniões de família promovidas pelo Opus Dei.

Gostaria de testemunhar as palavras do Vigário Geral do Opus Dei no Brasil, Monsenhor Vicente Ancona Lopes, quando diz: “O Opus Dei sempre seguiu estritamente os ensinamentos da Igreja Católica Apostólica Romana.” Quando o fundador recebeu de Deus a mensagem, já viu o Opus Dei como um grande instrumento de serviço ao Papa e à Igreja. Sou testemunha de que o Opus Dei somente tem a finalidade de servir ao Papa e à Igreja através de uma sólida formação e orientação espiritual para que possamos trilhar o caminho da luta pessoal pela santidade no meio desse nosso mundo globalizado! Portanto, é um caminho de muita alegria, paz e fraternidade dentro da Igreja Católica que vale a pena conhecer e seguir!

Cordialmente,

Pedro Perri Junior – Administrador de Empresas

Maria Teresa Lema Garcia Perri – Advogada