Minha mãe, das primeiras supernumerárias do Opus Dei no Brasil

Por Maria Helena Alves Silva
Maria Helena Alves Silva escreve carinhosa homenagem à sua mãe, supernumerária, que completa 86 anos, agora já junto de Deus. Conta-nos que, desde que conheceu o Opus Dei, a alegria de sua mãe tornou-se mais patente, fazendo de sua casa um “lar luminoso e alegre”, com muito carinho, apoio, amizade e formação – valores que hoje Maria Helena e seus irmãos transmitem aos filhos.
A mãe de Maria Helena também conheceu São Josemaria, quando ele veio a São Paulo em 1974, e fez uma pergunta que lhe agradou muito.

Minha mãe, das primeiras supernumerárias do Opus Dei, no Brasil, faleceu no dia 25 de maio deste ano serenamente, como sempre viveu. Nesta data do ano de 1974, conheceu São Josemaria Escrivá, na sua vinda a São Paulo, e lhe fez uma pergunta sobre São José*, que muito o comoveu!

Quando conheceu a Obra nos anos 70, sua alegria tornou-se mais patente e dizia a toda sua família que sempre havia procurado este caminho de espiritualidade e santificação do trabalho e que sempre havia sido “filha” do Fundador do Opus Dei!

Nossa casa, com 5 filhos e o movimento que tinha, transformou-se num “lar luminoso e alegre”, frase que São Josemaria costumava empregar, para animar seus filhos espirituais a santificarem a vida de família.

Por dever de justiça, no dia em que em ela completa 86 anos (28 de setembro), agora já junto de DEUS, quero deixar meu agradecimento e de meus irmãos a tudo que a Obra fez por ela, pelo meu pai (era cooperador) e por todos nós, por tudo que recebemos de formação, carinho, amizade e apoio e que estamos transmitindo aos nossos filhos!

Em nenhum momento de nossas vidas e na nossa casa houve nada do que se publica de negativo nas famílias, pelo contrário, só temos motivos de alegria, por termos, graças a DEUS, conhecido o Opus Dei.

Maria Helena Alves Silva

* A seguir transcrevemos a pergunta e também a resposta de São Josemaria:

– Padre, como tornar realidade em nossas vidas as palavras da Escritura: “o justo vive da fé”, como as viveu São José?

– Como São José! Te sopraram algo ao ouvido do meu amor a São José? Eu o amo muito.
Pensa, minha filha, que o Senhor desde a eternidade escolheu a sua Mãe e a escolheu como a teríamos escolhido nós: cheia de perfeições e de formosuras, depois de Deus, Ela. Depois, quando teve que escolher aquele que havia de ser como seu pai, também o buscaria cheio de qualidades excelentes, de modo que, se mais que Maria só Deus, mais que São José, só Maria e Deus Nosso Senhor.
Tende muito carinho a São José, pais de família, querei-o muito e fazei o que ele fazia, que muitas vezes se escondia. Quase não se lhe vê no Evangelho.