Madre Teresa de Calcutá e o Fundador do Opus Dei

Por Brian Kolodiejchuck
Brian Kolodiejchuck, M.C., Postulador da causa da canonização de Madre Teresa de Calcutá (26-2-2002), faz um paralelo entre as vidas de Madre Teresa e de São Josemaria, que embora sejam caminhos distintos de santidade, contêm um denominador comum: “a fé, que lhes fazia descobrir Cristo em cada homem”.

É surpreendente comprovar como são diferentes os carismas e as características dos santos na Igreja. Às vezes, parece até que se opõem entre si, mas quando se chega a conhecer com profundidade a vida e o espírito de cada um, acaba-se percebendo o comum denominador que lhes une: ser reflexo do modo de ser de Cristo, o Santo por excelência. Assim acontece no caso de dois grandes personagens da Igreja Católica do século XX: São Josemaria e a Madre Teresa de Calcutá.

Entre esses pontos em comum, não posso deixar de assinalar o grande amor para com a Igreja, com o Papa, com a confissão sacramental ou para com a fé indiscutida no valor da oração como ponto de partida de toda ação apostólica; e tantos outros aspectos, como a capacidade de empreender ambiciosas iniciativas de serviço aos demais.

Gostaria de comentar um ponto, particularmente característico do carisma da Madre Teresa: seu amor pelos pobres, pelos doentes, pelos moribundos; em definitiva, pelos mais necessitados de ajuda. Neles, a Madre Teresa via o mesmo Cristo. Também na vida de São Josemaria, encontramos um grande compromisso de ajudar Cristo presente nas pessoas que padecem necessidades, um grande esforço de compromisso social por melhorar as condições de todos os seres humanos. Os pobres, os doentes, os necessitados, foram as armas para vencer em sua batalha para que o Opus Dei se estabelecesse. Em ambos os casos, tanto para o fundador do Opus Dei como para Madre Teresa, na raiz deste compromisso se observava a fé, que lhes fazia descobrir Cristo em cada homem.

Brian Kolodiejchuck

Fonte: Club Cyara : documentos, artículos y testimonios sobre el Opus Dei y su fundador.