In Evangelho do dia

37Quem receber um destes meninos em Meu nome, é a Mim que recebe; e quem Me receber, não Me recebe a Mim, mas sim Aquele que Me enviou.

38Disse-Lhe João: Mestre, vimos um homem que não anda connosco a expulsar os Demônios em Teu nome e proibimos-lho, porque não andava connosco. 39Não lho proibais — respondeu Jesus . — Porque não há ninguém que possa fazer um milagre em Meu nome e vá logo falar mal de Mim.

 

Comentário

36-37. Jesus, para ensinar graficamente aos Seus Apóstolos a abnegação e a humildade de que necessitam no exercício do seu ministério, toma uma criança, abraça-a e explica-lhes o significado deste gesto: acolher em nome e por amor de Cristo os que, como essa criança, não têm relevo aos olhos do mundo, é acolher o próprio Cristo e o Pai que O enviou. Nessa criança que Jesus abraça estão representadas todas as crianças do mundo, e também todos os homens necessitados, desprotegidos, pobres, doentes, nos quais nada há de brilhante e destacado para admirar.

38-40. O Senhor previne os Apóstolos, e depois deles todos os cristãos, contra o exclusivismo e o espírito de partido único na tarefa apostólica, que se exprime no falso refrão: «O bem, se não o faço eu, já não é bem». Pelo contrário, devemos assimilar este ensinamento de Cristo, porque o bem é bem, mesmo que o não faça eu. Cfr a nota a Lc 9,49-50.

Recommended Posts
Fale conosco

Escreva aqui sua mensagem que responderemos o mais breve possível. Obrigado!

Start typing and press Enter to search