In Evangelho do dia

31Nisto chegaram Sua Mãe e Seus irmãos e, ficando fora, mandaram-No chamar. 32Ora estava muita gente sentada à volta d’Ele, quando Lhe disseram: Olha, Tua Mãe, Teus irmãos e Tuas irmãs estão ali fora a procurar-Te. 33Mas Ele respondeu: Quem é Minha mãe e Meus irmãos?34 E, percorrendo com o olhar todos o que estavam à volta d’Ele, disse: 35Quem faz a vontade de Deus, esse é Meu irmão, e irmã, e mãe.

Comentário

31-35. A palavra «irmãos» era em aramaico, a língua falada por Jesus, uma expressão genérica para indicar um parentesco: irmãos também se chamavam os sobrinhos, os primos direitos e os parentes em geral. (Para mais explicações cfr a nota a Mc 6, 1-3). «Jesus não disse estas palavras para renegar Sua mãe, mas para mostrar que não só é digna de honra por ter gerado Cristo, mas também pelo cortejo de todas as virtudes» (Enarratio in Evangelium Marci, ad loc.).

Por isso, a Igreja recorda-nos que a Santíssima Virgem « acolheu as palavras com que o Filho, pondo o reino acima de todas as relações de parentesco, proclamou bem-aventurados todos os que ouvem a palavra de Deus e a põem em prática; coisa que Ela fazia fielmente» (Lumen gentium, n. 58).

O Senhor, pois, ensina também que segui-Lo nos leva a compartilhar a Sua Vida até tal ponto de intimidade que constitui um vínculo mais forte que o familiar. São Tomás explica-o dizendo que Cristo «tinha uma geração eterna e outra temporal, e antepõe a eterna à temporal. Aqueles que fazem a vontade de Meu Pai alcançam-No segundo a geração celestial (…). Todo o fiel que faz a vontade do Pai, isto é, que simplesmente Lhe obedece, é irmão de Cristo, porque é semelhante Àquele que cumpriu a vontade do Pai. Mas, quem não só obedece, mas converte os outros, gera Cristo neles, e desta maneira chega a ser como a Mãe de Cristo» (Comentário sobre S. Mateus, 12,49-50).

Recent Posts
Fale conosco

Escreva aqui sua mensagem que responderemos o mais breve possível. Obrigado!

Start typing and press Enter to search