Evangelho do dia 21.08.2017 – Mt 19,16-22 – Leia o Evangelho do dia

16Senão quando, aproxima-se um que Lhe diz: Mestre, que hei-de fazer de bom para obter a vida eterna? 17Respondeu-lhe Ele: Porque Me interrogas sobre o que é bom? Bom é um só. Mas se queres entrar na vida, guarda os mandamentos. l8Diz-Lhe: Quais? Jesus respondeu: Não matar, não adulterar, não roubar, não levantar falso testemunho, 19honrar pai e mãe e amar o próximo como a ti mesmo. 20Disse-Lhe o jovem: Tudo isso tenho eu observado desde a minha mocidade. Que me falta ainda? 21Respondeu-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende o que tens e dá-o aos pobres e terás um tesouro nos Céus. Depois, vem e segue-Me. 22O jovem, ao ouvir estas palavras, afastou-se triste, pois tinha muitos haveres.

 

Comentário

  1. A Vulgata e outras versões, apoiadas em bastantes códices gregos, esclarecem esta frase completando-a: «Um só é o bom. Deus».

20-22. «Que me falta ainda?»: O jovem guardava já os mandamentos necessários para a salvação. Mas há mais. Por isso o Senhor responde: «se queres ser perfeito…», isto é, se queres adquirir o que ainda te falta. Trata-se de um novo chamamento de Jesus: «Depois, vem e segue-Me…». Com estas palavras o Senhor manifesta que quer fazê-lo Seu «discípulo», e por isso lhe exige, como fez com os outros (cfr Mt 4,19-22), que abandone tudo o que possa ser obstáculo para uma plena dedicação ao Reino de Deus.

A cena termina de forma melancólica: o jovem afasta-se triste. O apego às suas coisas prevalece sobre o convite carinhoso de Jesus. É a tristeza que se segue à falta de coragem para responder à chamada do Senhor com a entrega pessoal.

Os evangelistas ao narrar este acontecimento transcendem o mero episódio para nos situarem diante de um caso tipo: descreve-se uma situação, formula-se uma lei: a da vocação divina, específica, para entregar-se ao Seu serviço e ao de todos os homens.

Este jovem ficou como figura do cristão a quem a sua mediocridade e a curteza de vista impedem de converter a sua vida numa entrega gozosa e fecunda ao serviço de Deus e do próximo.

Se tivesse sido suficientemente generoso para responder ao chamamento divino, que teria chegado a ser? Um grande apóstolo, sem dúvida.