In Evangelho do dia

Naquele tempo, atravessou Jesus por meio de umas searas, em dia de sábado, e os discípulos, com fome, começaram a arrancar espigas e a comê-las. 2Viram-nos os Fariseus e disseram-Lhe: Olha, os Teus discípulos estão a fazer o que não é permitido fazer ao sábado. 3Ele, porém, respondeu-lhes: Não lestes o que fez David quando sentiu fome, ele e os companheiros? 4Como entrou na casa de Deus e comeu os pães da proposição, que nem a ele nem aos companheiros era permitido comer, mas somente aos sacerdotes? 5Ou não lestes ria Lei que, ao sábado, os sacerdotes no Templo violam o sábado e não cometem culpa? 6Ora Eu vos digo que há aqui algo maior que o Templo. 7E se soubésseis o que significa: «quero misericórdia e não sacrifício», não condenaríeis nunca os inocentes, 8pois que o Filho do homem é senhor do sábado.

Comentário

  1. «Sábado»: Era para os Judeus o dia da semana dedicado ao culto divino. O próprio Deus o instituiu e mandou que o povo judeu se abstivesse de certos trabalhos nesse dia (Ex 20, 8-11; 21,13; Dt 5, 14), para poder dedicar-se com mais demora a honrar a Deus. Com o passar do tempo os rabinos complicaram o preceito divino, e na época de Jesus tinham feito uma classificação de 39 espécies de trabalhos proibidos.

Os fariseus acusam os discípulos de Jesus de violar o sábado. Com efeito, segundo a casuística dos escribas e fariseus, arrancar espigas equivalia a segar; esfregá-las, a debulhar: trabalhos agrícolas proibidos ao sábado.

3-8. Jesus Cristo rebate a acusação dos fariseus com quatro razões: o exemplo de David, o dos sacerdotes, O sentido da misericórdia divina e o domínio do próprio Jesus sobre o sábado. O primeiro exemplo, conhecido pelo povo acostumado a escutara leitura da Bíblia, é tirado de 1Sam 21,2-7: David, fugindo da perseguição do rei Saul, pede ao sacerdote do santuário de Nob alimento para os seus homens; o sacerdote, não tendo senão os «pães da proposição», deu-lhos; eram doze pães que se colocavam cada semana na mesa de ouro do santuário, como homenagem perpétua das doze tribos de Israel ao Senhor (Lev 24, 5-9). O segundo exemplo refere-se ao ministério dos sacerdotes: para realizar o culto divino tinham de fazer ao sábado uma série de trabalhos, sem desobedecer por lei do descanso (cfr Num 28, 9). Para as outras duas razões cfr as notas a Mt 9, 13 e Mc 2, 26-27.28.

Recent Posts
Fale conosco

Escreva aqui sua mensagem que responderemos o mais breve possível. Obrigado!

Start typing and press Enter to search