Evangelho do dia 10.05.2017 – Jo 12, 44-50 – Leia o Evangelho de hoje

44Jesus ergueu a voz e disse: Quem acredita em Mim não é em Mim que acredita, mas n’Aquele que Me enviou; 45e quem Me vê vê Aquele que Me enviou. 46Eu vim como luz ao mundo, a fim de que todo aquele que acredita em Mim não fique nas trevas. 47Se alguém ouve as Minhas palavras e as não guarda, não sou Eu que o condeno, que Eu não vim para condenar o mundo, mas para o salvar. 48Quem Me rejeita e não acolhe as Minhas palavras tem quem o condene. A palavra que eu anunciei é que há-de condená-lo no último dia. 49De facto, Eu não falei por Mim mesmo; foi o Pai, que Me enviou, que Me deu pessoalmente uma ordem sobre o que hei-de dizer e anunciar. 50E Eu sei que a Sua ordem é vida eterna! Portanto, as coisas que digo, digo-as como o Pai Mas disse a Mim.

Comentário

44-50. Com estes versículos termina São João o relato da pregação pública do Senhor. Recopila alguns temas fundamentais desenvolvidos em capítulos anteriores: necessidade da fé em Cristo (v. 44); unidade e distinção entre o Pai e o Filho (v. 45); Jesus como Luz e Vida do mundo (vv 46-50); julgamento dos homens segundo a sua aceitação ou rejeição do Filho de Deus (vv 47-49). Nos capítulos seguintes recolhe os ensinamentos de Jesus aos Seus Apóstolos na Última Ceia, e os relatos da Paixão e da Ressurreição.

  1. Cristo, o Verbo Encarnado, é um com o Pai (cfr Ioh 10,30); é «o esplendor da Sua glória» (Heb 1,3), «a imagem perfeita do Deus invisível» (Col 1,15). Em Ioh 14,9 Jesus exprime-Se quase com as mesmas palavras ao dizer: «Aquele que Me viu a Mim viu o Pai». Ao mesmo tempo que fala da unidade com o Pai, aparece de forma clara a distinção entre as Pessoas divinas: o Pai, que envia, e o Filho, que é enviado.

Na Santíssima Humanidade de Cristo está como que escondida a Sua Divindade, que possui com o Pai na unidade do Espírito Santo (cfr Ioh 14,7-11). Em teologia costuma chamar-se «circuminsessão» a realidade divina pela qual, em virtude da unidade entre as três Pessoas da Santíssima Trindade, «o Pai está todo no Filho, todo no Espírito Santo; o Filho está todo no Pai, todo no Espírito Santo; o Espírito Santo está todo no Pai, todo no Filho» (Pró Iacobitis, Dz-Sch, n. 1331).

47. Cristo veio salvar o mundo oferecendo-Se em sacrifício pelos nossos pecados e trazendo-nos a vida sobrenatural (cfr Ioh 3,17). Mas, ao mesmo tempo, foi constituído Juiz de vivos e mortos (cfr Act 10,42): dá a Sua sentença no juízo particular que acontece imediatamente depois da morte, e no fim dos tempos; na Sua segunda vinda ou Parusia, no juízo universal (cfr Ioh 5,22; 8,15-16 e a nota a Ioh 15,22-25).