Evangelho do dia 06.06.2017 – Mc 12, 13-16 – Leia o Evangelho de hoje

13Depois enviam-Lhe alguns dos Fariseus c Herodianos, para O apanharem em palavras. 14Chegados que foram, dizem-Lhe: Mestre, sabemos que és sincero e que não Te preocupas com ninguém, pois não fazes acepção de pessoas, mas ensinas com verdade o caminho de Deus. É ou não é lícito pagar o tributo a César? Devemos pagar, ou não devemos pagar? 15Mas Jesus, que lhes conhecia a hipocrisia, respondeu-lhes: Porque Me tentais? Trazei-Me um dinheiro, para ver. l6Trouxeram-no, e Ele disse-lhes: De quem é esta efígie e a inscrição? De César — responderam-Lhe.

Comentário

13-17. Jesus aproveita a armadilha que procuram estender-lhe os Seus inimigos para ensinar que o homem pertence totalmente ao seu Criador: «Tendes que dar forçosamente a César a moeda que tem impressa a sua imagem; mas vós entregai com gosto todo o vosso ser a Deus, porque está impressa em nós a Sua imagem e não a de César» (Comm. in Marcum, ad loc.).

Ao mesmo tempo, Nosso Senhor estabeleceu um princípio permanente, que há-de guiar a actuação dos cristãos na vida pública. A Igreja reconhece a justa autonomia das realidades terrenas, mas isto não quer dizer que não tenha a responsabilidade de as iluminar com a luz do Evangelho. Os leigos, ao colaborarem lado a lado com os outros cidadãos no desenvolvimento da sociedade, devem infundir um autêntico sentido cristão: «Se o papel da Hierarquia é o de ensinar a interpretar autenticamente os princípios morais que devem ser seguidos neste terreno, aos leigos corresponde, com a sua livre iniciativa, e sem esperar passivamente ordens e directrizes, penetrar de espírito cristão a mentalidade e os costumes, as leis e as estruturas da comunidade em que vivem. As mudanças são necessárias, as reformas profundas, indispensáveis: devem empenhar-se resolutamente em infundir-lhes o espírito evangélico» (Populorum progressio, n. 81).06