Deus é fiel ao seus filhos

Por Júlio César Mendes
Júlio César conta como conheceu o Opus Dei, as impressões de sua família sobre a Obra e como Deus o confirmou neste caminho, onde se sente “muito honrado por ser cooperador”.

Meu nome é Júlio César Mendes, tenho 38 anos, sou dentista, casado, tenho um filho de 3 anos.

Conheci o Opus Dei em 1986, através de um amigo no segundo grau chamado Fábio Andrada que hoje é médico. Sou de uma família cátólica, para minha mãe era um orgulho eu participar das palestras, retiros e demais atividades no Opus Dei. Ela tinha no seu coração uma segurança que eu estava em boas mãos. Meu pai na época tinha uma certa dúvida sobre a idoneidade da Obra, foi consultar-se com o padre da Igreja São Judas Tadeu aqui em Brasília, foi muito bem esclarecido sobre a seriedade do Opus Dei pelo falecido padre Monsieur Roberto.

Venho de uma família de 7 irmãos. Após o falecimento de nossos pais alguns irmãos contestaram a fé e amor de nossos pais pela Santa Igreja Católica. Fui muitas vezes agredido pelo amor à Igreja e à Nossa Senhora. Aquilo estava me deixando muito triste, a perseguição dos meus irmãos protestantes estava cada vez mais intensa.

Fui me aconselhar com Deus através do meu diretor em um retiro em 2002. Nesse dia meu coração foi literalmente tocado pelo amor de Deus sobre as dúvidas e anseios. Deus me confirmou o tanto que Ele se faz presente na espiritualidade da Obra e o carinho, a ternura, que Maria Nossa Mãe tem pelo seus filhos.

Hoje eu tenho paz com meus irmãos e o respeito emana em nossa família.

Me sinto muito honrado por ser cooperador no Opus Dei hoje. Obrigado Deus.

Júlio César Mendes