“Dicas” de São Josemaria para alcançarmos a paz

Por Equipe do Opus Alegria
Em seus livros “Caminho”, “Forja” e “Sulco”, encontramos pontos em que São Josemaria nos fala de como alcançarmos a paz. Selecionamos alguns destes pontos que contêm sugestões de orações breves, que podemos repetir ao longo do nosso dia e, especialmente, naquelas situações mais delicadas e de sofrimento, em que parece difícil manter a serenidade e a paz.

Estás sofrendo uma grande tribulação? Tens contrariedades? – Diz, muito devagar, como que saboreando, esta oração forte e viril:
“Faça-se, cumpra-se, seja louvada e eternamente glorificada a justíssima e amabilíssima Vontade de Deus sobre todas as coisas. – Assim seja. – Assim seja.”
Eu te garanto que alcançarás a paz.
(Caminho, ponto 691)

Um raciocínio que conduz à paz e que o Espírito Santo oferece pronto aos que querem a Vontade de Deus: “Dominus regit me, et nihil mihi deerit” – o Senhor é quem me governa; nada me faltará. Que há que possa inquietar uma alma que repita seriamente essas palavras?
(Caminho, ponto 760)

Já viste como agradecem as crianças? – Imita-as dizendo, como elas, a Jesus, diante do favorável e diante do adverso: “Que bom que és! Que bom!…” Esta frase, bem sentida, é caminho de infância, que te levará à paz, com peso e medida de risos e prantos, e sem peso e medida de Amor.
(Caminho, ponto 894)

Agora que a Cruz é séria, de peso, Jesus arruma as coisas de tal modo que nos cumula de paz: faz-se nosso Cireneu, para que o fardo se torne leve.
Diz-Lhe, pois, cheio de confiança: – Senhor, que Cruz é esta? Uma Cruz sem cruz. De agora em diante, com a tua ajuda, conhecendo a fórmula para abandonar-me em Ti, serão sempre assim todas as minhas cruzes.
(Forja, ponto 764)

Une a tua dor – a Cruz exterior ou interior – à Vontade de Deus, por meio de um “fiat!” – faça-se – generoso, e te encherás de júbilo e de paz.
(Forja, ponto 771)

Ainda que tudo se afunde e se acabe, ainda que os acontecimentos ocorram ao contrário do previsto, e nos sejam tremendamente adversos, nada ganhamos perturbando-nos. Além disso, lembra-te da oração confiante do profeta: “O Senhor é nosso Juiz, o Senhor é nosso Legislador, o Senhor é nosso Rei; Ele é quem nos há de salvar”. – Reza-a devotamente, todos os dias, para ajustares a tua conduta aos desígnios da Providência, que nos governa para nosso bem.
(Sulco, ponto 855)

Santa Maria é – assim a invoca a Igreja – a Rainha da paz. Por isso, quando se conturba a tua alma, ou o ambiente familiar ou profissional, ou a convivência na sociedade ou entre os povos, não cesses de aclamá-la com esse título: “Regina pacis, ora pro nobis!” – Rainha da paz, rogai por nós! Experimentaste fazê-lo, ao menos, quando perdes a tranqüilidade?… – Ficarás surpreso com a sua eficácia imediata.
(Sulco, ponto 874)